Parece que você não possui a versão mais recente do Flash Player

Excelência no Trabalho

Equipe voltada à inovação

A inovação, algo fundamental no mundo corporativo (e também na vida) nos dias atuais, se dá, normalmente, através de quatro competências indispensáveis: criatividade, organização, planejamento e capacidade de execução

Wiesbaden Alemanha, outono de 2012 Heimweh!!

Toda inovação é baseada no conhecimento, ou seja, o conhecimento é a chave da inovação. Por sua vez, enquanto ‘pesquisar’ é ‘transformar dinheiro em conhecimento’, ‘inovar’ é ‘transformar conhecimento em dinheiro’, sob a forma de novos produtos e serviços ao mercado, algo indispensável na nova Sociedade do Conhecimento,  caracterizada por mudanças rápidas e disruptivas e alteração do foco do trabalho, antes ‘mão de obra’ para, hoje, ‘cérebro de obra’, onde o maior insumo é o conhecimento e a capacidade de gerar ideias inovadoras.

Percebe-se que a necessidade de inovação é incrementada pelo efeito da globalização, onde o aumento da concorrência resulta que as empresas corram contra o tempo para se sustentar no mercado, aumentar sua oferta de produtos, ampliar sua capacidade de produção, atingir novos mercados e assim manter-se competitiva.

A inovação é um processo cíclico, que pode se iniciar tanto por uma oportunidade identificada, quanto por uma ideia gerada mediante um processo formal, como por exemplo, o brainstorming, e resulta de ocorrências inesperadas, incongruências, necessidades do processo, mudanças no mercado, percepção e novos conhecimentos.

O Manual de Oslo, proposta de diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica, editada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e que tem o objetivo de orientar e padronizar conceitos, metodologias e a construção de estatísticas e indicadores de pesquisa de P&D de países industrializados, identifica vários fatores humanos, sociais e culturais, como elementos cruciais para a eficácia do processo de inovação dentro das organizações, fatores estes que influenciam inteiramente na aprendizagem organizacional e estão ligados à facilidade de comunicação interna, às interações informais, à cooperação e aos canais de transmissão de informações e habilidades entre as empresas.

            Inovar não é uma tarefa fácil para as empresas, independente do seu tamanho. E dentre os muitos possíveis, um caminho acertado é estimular e trabalhar para formar equipes criativas, com atitude para pensar o novo, e em um ambiente onde as ideias possam circular livremente.

            Epaços abertos, sofás coloridos,  videogames e mesas de sinuca não são suficientes para esta transformação. Importante, sim, é manter uma atmosfera que estimule a liberdade para pensar de forma disruptiva e criar.

            Ainda assim, a criatividade é apenas um dos insumos para a inovação. É preciso que se somem à criatividade, pessoas motivadas, diversas e reconhecidas. Só assim, haverá estímulo para a busca de soluções e alternativas, bem como, de novas formas de resolver problemas recorrentes, ‘saindo do quadrado’.

            Para se criar um time inovador e engajado na cultura de inovação, precisa-se deixar de lado o mito de que a inovação precisa estar necessariamente ligada à tecnologia e se eliminar a ideia de que a inovação surge de algum relance brilhante tipo ‘eureka’.

            Entre as ações para o desenvolvimento de competências empresariais necessárias para a inovação, podem ser citadas algumas, como:

  • CRIAÇÃO DE AMBIENTES QUE ESTIMULEM A INOVAÇÃO, isto é, facilitação de ambientes (presenciais e digitais) de troca, de forma a alinhar e engajar a equipe aos macroobjetivos da empresa, tais como cursos, workshops, intercâmbio de informações, estímulo ao acerto e aceitação ao erro
  • INCENTIVO À COLABORAÇÃO, ou seja, flexibilização da tradicional filosofia de gestão via comando (controle) funcional, criando estruturas matriciais intersetoriais para projetos compartilhados, que estimulem a troca, a convivência e a colaboração entre pessoas de diferentes pensamentos, experiências e competências
  • INCENTIVO À DIVERSIDADE, mediante a formação de equipes heterogêneas, formadas por pessoas de diferentes estados, países, culturas, raças, gerações e gênero, ou seja, pessoas mergulhadas em caldos culturais distintos, com experiências e expectativas de vida completamente diferentes. Desta diversidade de pessoas com  diferentes perspectivas para situações idênticas, permeadas por um sistema que estimule a troca e a diferença de opiniões, surge uma maior riqueza de soluções para problemas compartilhados.
  • CRIAÇÃO DE SISTEMAS DE RECOMPENSA,  provocando as pessoas a sairem da sua inércia profissional, em busca de uma autoreinvenção diária, e estimulando a equipe à busca pelo reconhecimento e celebração de resultados
  • ASSUNÇÃO DE RISCOS, com o inevitável binômio inovação-risco sendo gerido de forma sistêmica e de perto nos desafios de se fazer sempre melhor o que já existe
  • INCENTIVO À INOVAÇÃO, colocando-a no centro das discussões, falando dela e da sua importância, constantemente, e aos ‘quatro ventos’, nunca a deixando restrita a eventos específicos

            Enfim, não há fórmula pronta e nem rápida para uma empresa inovar sempre, principalmente, porque a inovação não é algo que brota naturalmente das pessoas, da equipe e da cultura da empresa.

            A inovação, sim, como todo processo dinâmico, depende de iniciativas, tentativas, acertos, erros e muita abertura para se admitir que empresa que não inova, não só envelhece, como, muito provavelmente, desaparece.

Emílio Da Silva Neto

Industrial, Consultor, Conselheiro, Palestrante e Professor

Sócio da ‘3S Consultoria Empresarial Familiar’

(Especializada em Processo Decisório Colegiado, Governança, Sucessão,

Compartilhamento do Conhecimento e Constituição de Conselhos de Família)

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento

Curriculum Vitae: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4496236H3

Tese de Doutorado: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2016/08/Em%C3%ADlio-da-Silva.pdf

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

emiliodsneto@gmail.com

47 9 9977 9595

Fonte: http://www.jaraguaam.com.br/blogs/governanca-sucesso-na-empresa-familiar/equipe-voltada-a-inovacao

comentários

notícias relacionadas